Comportamento e postura no ambiente de trabalho

Nos últimos dias tenho pensado muito nas questões comportamentais no ambiente de trabalho. Muito longe de possuir qualquer expertise no assunto (sou advogado!) atrevo-me a partilhar alguns pontos sobre os quais pensei.

Primeiramente, o leitor pode estranhar o fato de um advogado estar tecendo estas linhas. Não é de se estranhar! A Advocacia caminha em passos firmes para abandonar aquele modelo tradicional de escritório, ainda muito presente no imaginário das pessoas. Hoje, cada vez mais, um novo modelo vem se desenhando, emergindo no cenário nacional verdadeiras “empresas de advocacia”.

Falando por experiência própria, porquanto sócio de um escritório em contínua expansão, cada dia mais sinto que a temática Comportamento e Postura merece tratamento especial e alguns preceitos basilares devem estar sempre presentes no cotidiano corporativo.

Respeito ao colega de trabalho (qualquer que seja a forma de trabalhar, algo muito peculiar em cada indivíduo): se porventura achar excêntrica a forma de trabalho do colega, guarde para você. Isso apenas diz respeito a ele, concorda?! E você tem a sua também, não esqueça…

Zelo para que o ambiente seja o mais sereno e harmônico: nosso descontentamento com questões pontuais (profissionais ou pessoais) não deve atingir os demais. Todos estamos sujeitos e suscetíveis aos problemas da vida, mas não temos o direito de acometer o próximo. A palavra mal empregada tem efeito devastador. Quando sai da boca, nunca mais retorna. Pensemos nisso! Em caso de crítica, zele para que seja construtiva e, ainda assim, feita em momento oportuno.

Lembrar que você é a sua empresa também fora do ambiente de trabalho. As suas ações e a própria imagem podem refletir diretamente em como sua empresa é vista: é necessário ter percepção para não se colocar em situações embaraçosas, que podem atingir sua própria figura e, por via oblíqua, a instituição que você representa. Aqui, por razões óbvias, cabe especialíssima atenção à (muitas vezes desnecessária e inoportuna) exposição nas mídias sociais.

Lendo sobre o tema nos últimos dias me deparei com a informação de que número bastante elevado de demissões decorre de problemas comportamentais no ambiente de trabalho, o que sublinha a importância do assunto.

Este Advogado e simples aspirante à análise das questões comportamentais não escreveu até aqui qualquer novidade. Fato! Entretanto, também é fato que, se praticarmos dia-a-dia as premissas acima, estaremos contribuindo para o bem-estar corporativo, fundamental para o desenvolvimento do trabalho de forma prazerosa. Afinal, quem deseja sair do aconchego do lar para trabalhar num ambiente carregado? A construção do ambiente corporativo desejado só depende das nossas ações positivas.

Autor: Marcel Stivaletti

Publicado por
Categorias: Artigos